ADUFPEL - Associação dos Docentes da Universidade Federal de Pelotas

Logo e Menu de Navegação

Andes Sindicato Nacional
A- A+

Notí­cia

Docentes da UFPel e do IFSul paralisam no dia 15 de maio contra ataques à educação

Na Assembleia Geral da ADUFPel-SSind também foi aprovada a adesão à Greve Geral, convocada para o dia 14 de junho


A Greve Nacional da Educação, que ocorre no dia 15 de maio, terá adesão dos docentes da UFPel e do IFSul. Na data, ocorrerão protestos por todo o Brasil contra os diversos ataques do governo federal à educação pública. A deliberação foi encaminhada em Assembleia Geral (AG) da ADUFPel-SSind e do Sinasefe-IFSul.


Na AG da ADUFPel-SSind, realizada ontem, a categoria também aprovou a participação na Greve Geral, que acontece no dia 14 de junho. A mobilização tem como mote a luta contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/2019, da Reforma da Previdência, que pretende destruir direitos previdenciários e assistenciais da população brasileira.



Greve da Educação - A luta é na rua

A Greve Nacional da Educação tem como principal eixo a luta contra os ataques à educação promovidos pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL). A comunidade acadêmica irá às ruas protestar contra os cortes em 30% no orçamento das universidades e institutos federais, que ameaçam o funcionamento das instituições de ensino. Além disso, será um dia importante para lutar contra as demais medidas que incorporam a perseguição do governo ao setor da educação, como os cortes em bolsas de mestrado e doutorado, os ataques aos cursos de Filosofia e Sociologia e a criminalização de docentes.


Na AG, os docentes agregaram à chamada de Greve Nacional da Educação a frase "A luta é na rua" com o objetivo de convocar todo o corpo docente, técnico e estudantil da Universidade e do IF para estarem mobilizados nas ruas neste dia. "Queremos muito esclarecer toda a população do impacto que acontecerá na sociedade brasileira com os cortes de recursos nas Universidades Públicas e nos Institutos Federais", comenta a presidenta da ADUFPel-SSind, Fabiane Tejada.


A programação em Pelotas inclui:


14h - Ato unificado das centrais e movimentos sociais no Mercado Central

16h30 - Caminhada até o IFSul com retorno e encerramento no Mercado.


Novas propostas de mobilização que surjam até este dia serão divulgadas em nosso site e rede social.


Greve Geral

A Greve Geral, convocada pelas centrais sindicais para o dia 14 de junho, tem como principal bandeira a luta contra a PEC 6/2019. Enviada ao Congresso pelo governo federal em fevereiro, a PEC representa uma proposta de aniquilamento dos direitos previdenciários e assistenciais dos/as brasileiros/as e já foi aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara de Deputados. A Greve Geral pretende mostrar para o governo que as/os trabalhadores/as não aceitarão retroceder em seus direitos.


Além de aumentar a idade mínima para aposentadoria e acabar com a aposentadoria por tempo de contribuição, a PEC 6/2019 quebra o caráter solidário da Previdência Social e reduz os valores de benefícios, como a pensão por morte. Além disso, com a proposta de capitalização, a PEC pretende privatizar a previdência, entregando ao sistema financeiro o principal mecanismo de proteção social e distribuição de renda do país. No que se refere a professores, a proposta é que eles trabalhem por mais 10 anos. Também há um ataque os/as servidores/as públicos/as, limitando valores de aposentadoria, e impondo pesadas regras de transição.


Carga horária docente

A AG da ADUFPel também teve como ponto de discussão a carga horária docente. Recentemente, a reitoria da UFPel manifestou a intenção de aumentar o mínimo da carga de ensino de 8 para 9,6 horas-aula. O encaminhamento dos/as professores/as foi o de estabelecer uma comissão para debater e organizar uma proposta sobre a questão. A primeira reunião dessa comissão será convocada publicamente após a Greve Nacional da Educação do dia 15 de maio.


Assessoria ADUFPel

Veja Também

  • relacionada

    Assembleia da ADUFPel rejeita o Future-se e aponta construção de uma greve da educação

  • relacionada

    Future-se já foi rejeitado em nove universidades federais

  • relacionada

    ADUFPel debate Reforma da Previdência com moradores da Cohab Tablada

  • relacionada

    Governo cortou recursos da educação para liberação de emendas

  • relacionada

    Em roda de conversa na ADUFPel, docentes debatem impactos do projeto Future-se

  • relacionada

    Ameaças do “Future-se” para as instituições de ensino são debatidas em Audiência Pública e...

Newsletter

Deixe seu e-mail e receba novidades.